31.8.15

Crítica: Céu e Inferno

Céu e Inferno

Filme de 1963, dirigido por Akira Kurosawa e que conta a história do Sr.Gondo que é um homem de negócios bem sucedido e tem seu filho sequestrado e precisa usar o dinheiro que tem para pagar o resgate.




Um dos melhores filmes do gênero policial, esta é uma obra de antíteses desde seu titulo em português, passando por seu titulo em inglês (High and Low = Alto e Baixo) e principalmente nas cenas do filme, o ambiente rico e cheio de luxo no qual o Sr.Gondo vive com sua família, o carro que ele usa, os vários empregados que ele tem em uma mansão que fica localizada em umas das partes mais altas da cidade em que vive são contrapostas por um ambiente pobre que mostra viciados em heroína e outros tipos de droga, mostra um deposito de lixo hospitalar, o mercado de peixes, a casa que o sequestrador vive e a casa que o mesmo usa como esconderijo ilustram muito essas contraposições.

Mais uma vez, Kurosawa mostra que é um mestre em realçar as expressões de seu elenco, pois usa enquadramentos perfeitos com destaque para a brilhante cena do trem que mesmo em um relativamente pequeno espaço os atores são perfeitamente visíveis e outra cena que merece destaque é aquela na qual é descoberta o esconderijo usado pelo sequestrador e ele é descoberto de dois pontos de vista diferentes, o que é estupendo para o filme, pois isso mostra mais uma antítese.

“Céu e Inferno” é um dos filmes que precedeu os filmes e seriados do gênero policial que tem muita visibilidade atualmente, mas esses que vieram depois não tem o brilhantismo, nem atingem a excelência desta obra de Kurosawa que mais se aproxima do cinema ocidental, sem perder as marcas registradas de um melhores diretores da história.

Um comentário:

  1. Apesar de ser da década de 60 , mostra um cenário bem atual . Legal , gostei.

    ResponderExcluir