18.1.16

Crítica: O Regresso

O Regresso



Filme dirigido por Alejandro Gonzalez Iñarritu, conta a história de Glass (Leonardo DiCaprio), quando este é traído por Fitzgerald (Tom Hardy) e é dado como morto após ter sofrido um ataque de urso. Glass tem que voltar ao acampamento onde seus companheiros estão abrigados.




Iñarritu nos traz uma formula já conhecida de história, um homem dado como morto e querendo se vingar daquele que o traiu, porém esta já conhecida maneira de filmes de ação aqui é retratada de forma diferente, através de homenagens a outros grandes diretores. Os sonhos de Glass e a atmosfera onírica em determinadas cenas remete ao surrealismo de Luís Buñuel, as cenas mais lentas fazem recordar alguns dos filmes de Bergman, mas, as cenas de ação não fazem referência a nenhum diretor ou obra antiga (Acredito eu) e funcionam de forma tão efetiva por causa que a maioria delas foi feita com a câmera na mão ou em planos sequencia belíssimos, a primeira cena do filme exemplifica isso.

Os movimentos de câmera são ótimos e fluidos, não deixam as cenas confusas, sempre é possível saber o que está acontecendo, as cenas que mostram a caça e os homens procurando algo me conquistaram pois ao invés de a câmera seguir o personagem que caça, ela faz movimentos de um lado para o outro, para cima ou para baixo, mostrando para onde o personagem está olhando exatamente, e não que o personagem está procurando algo.

A fotografia merece destaque, Emmanuel Lubezki novamente faz um belo trabalho, todas as cenas da projeção são bonitas, bem modeladas, e com um uso ótimo da cor, para variar, este diretor de fotografia sempre faz o seu oficio de maneira impecável.

O elenco é excelente, DiCaprio faz do personagem Glass uma pessoa empática, que qualquer um de nós pode se identificar, a voz rouca, o olhar frio e ao mesmo tempo afetuoso, a saudade que sente de uma vida que não lhe pertence mais, faz o filme melhor. Tom Hardy faz de Fitzgerald um homem altamente cruel, porém inteligentíssimo, com uma forma de andar, o olhar e a maneira de falar sendo frias em todos os aspectos possíveis.

Inarritu mais uma vez é favorito ao Oscar, em 2015 ele levou com Birdman, em 2016 pode ganhar ainda mais estatuetas, pois colocou todo o seu estilo em um filme rico e agradável de se ver. Sobre o Oscar que DiCaprio pode ganhar, será totalmente merecido caso aconteça, se não acontecer tudo bem, ele será sempre lembrado por escolher bem seus projetos, ser intenso no trabalho e altamente talentoso, e neste “O Regresso” não foi diferente.

P.S: O filme tem sua referência mais bela em toda a história, estou falando que na obra vários pontos de vista são expostos, o do “morto” que seria o Glass, o do vilão que é o Fitzgerald, o dos americanos, dos franceses e o dos índios, assim como em Rashomon de Akira Kurosawa no qual vários pontos de vista também são mostrados.

Um comentário:

  1. Sensacional, não sou fã de Leonardo Di Caprio , mais tenho que admitir que ele está brilhante neste filme.

    ResponderExcluir