29.2.16

Crítica: Straight Outta Compton

Straight Outta Compton



Filme dirigido por F.Gary Gray, conta a história do grupo de rap N.W.A desde o começo, da amizade dos cinco membros, passando pela primeira turnê, e pelas brigas judiciais e revelações de novos rappers.




Obra ótima de se acompanhar, apesar de algumas cenas desnecessárias, o começo do filme poderia ser outro, não precisava ter mostrado o empresário interpretado por Paul Giamatti sendo ameaçado, o público já sabia disso e Ice Cube que foi tão bem abordado na primeira metade do filme mal aparece na segunda metade, e isso ocorre sem nenhum motivo aparente.

A projeção tem seus melhores momentos quando é mostrada a turnê realizada pelo grupo, com um imenso destaque para o show em Detroit de 1989, quando impedidos de cantarem a música “Fuck Tha Police” o grupo toca a canção mesmo assim, acarretando na prisão e no tumulto que a grande maioria do público já conhece.

E, se não conhece, não há problema algum, esta é a intenção do filme, expor a história daqueles que hoje são conhecidos individualmente, seja pelos fones da linha Beats caríssimos de Dr.Dre, seja pelos filmes de ação e comédia de qualidade duvidosa que Ice Cube protagonizou nos últimos anos, a projeção quer que o público saiba como o “Gangsta Rap” começou e de onde nomes como Snoop Dogg, Tupac e um pouco mais tarde Eminem foram revelados, O filme vale a pena por conta disso.

E sim, o filme, o diretor e seus atores mereciam indicações ao Oscar.

Yo!

Um comentário: