9.1.17

Crítica: Fences

Imagem do Portal UOL



Obra que conta a história de um ex-jogador de baseball chamado Troy – Denzel Washington – que após ter sua carreira sem sucesso trabalha como catador de lixo. Troy é casado com Rose – Viola Davis – e ele tem um filho de outro casamento chamado Lyons, e um filho com Rose chamado Cory – Jovan Adepo, filho este que tem o sonho de seguir a carreira esportiva ou em futebol americano ou em beisebol. Troy cuida também do irmão Gabe que foi ferido gravemente na guerra.

Dirigido por Denzel Washington a partir da peça que leva o mesmo nome, “Fences” é uma obra cinematográfica que é contada como a peça de teatro, os lugares tanto externos como internos, são quase sempre o mesmo, seus personagens são os mesmos durante todo o filme e a montagem também remete a obra teatral, os cortes secos seguidos da tela preta indicam as passagens dos atos, assim como mudanças nas estações do ano.




Mudanças essas que são acompanhadas pelas mudanças que os personagens têm, Troy é um homem frustrado pela carreira nos esportes não ter dado certo, ele usa de várias maneiras para esquecer essa frustração, como, por exemplo, o alcoolismo, o trabalho e principalmente o medo, medo esse que faz o filho ser prejudicado em determinada parte da projeção, porém, esse sentimento não pode ser definido assim, o medo aqui é revestido de amor, o pai não tem medo de que o filho se torne pobre ou mal sucedido, e sim de que o filho seja um frustrado em sua carreira e que se torne igual a ele em um futuro próximo.

Cory demora a entender isso, e o ator Jovan Adepo mostra isso ao seu público muito bem, fazendo de seu personagem alguém forte, que admira o pai, mas, que ao mesmo tempo não quer ser igual a ele. Rose é brilhantemente interpretada por Davis, uma atriz com imenso talento e que consegue evocar uma força e sensibilidade apenas pelo seu tom de voz unido a seu olhar decidido.

Com uma metáfora forte em seu titulo, “Fences” (Cercas em português), é um filme que adapta bem a peça de teatro na qual foi baseado, apesar de seus maniqueísmos e de uma ou outra coisa confusa e conta com atuações competentes de um elenco que sabe como tratar seus personagens em todas as suas minucias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário